No dia da corrida, Sid Watkins, médico da F1, disse a Senna: “Desista! Vamos pescar. Eu me aposento junto com você”

AYRTON SENNA E SID WATKINSAYRTON SENNA E SID WATKINS
AYRTON SENNA E SID WATKINS

AYRTON SENNA E SID WATKINS

Grande Prêmio de San Marino – Ímola – Itália

O médico oficial da F1, Sid Watkins foi um dos primeiros a socorrer Rubens Barrichello, que sobreviveu ao acidente.

publicidade

Roland Ratzenberger também recebeu os cuidados do dr. Watkins, mas não sobreviveu.

Watkins era amigo pessoal de Ayrton Senna e disse que tentou convencer o brasileiro a desistir da corrida e se aposentar precocemente.

Depois dos acidentes de Barrichello e Ratzenberger, o médico disse para Senna:

“O que mais você precisa fazer? Você é tricampeão mundial, é o piloto mais veloz. Desista e vamos pescar. Eu me aposento junto com você” disse.

O ídolo brasileiro respondeu:

“Sid, há coisas das quais nós não temos nenhum controle. Eu não posso deixar, eu tenho que ir adiante”.


 

rubensimola

Sexta-feira – 29 de abril de 1994

Rubens Barrichello se acidentou na Variante Bassa, curva que dava acesso à reta dos boxes no circuito de Ímola.

A Jordan decolou após passar em cima de uma zebra e foi direto para a proteção de pneus e capotou várias vezes antes de parar de cabeça para baixo.

Barrichello quebrou o nariz no acidente, sofreu ferimentos nos braços e acabou vetado pela equipe médica da corrida no domingo.

Ratzenbergerimola

Sábado – 30 de abril de 1994

No dia seguinte, a Fórmula 1 presenciou a primeira morte de um piloto em oito anos.

O austríaco Roland Ratzenberger acabou perdendo o controle no final da curva Villeneuve e atingiu o muro em altíssima velocidade.

A lateral do carro ficou completamente destruída.

Ratzenberger teve fraturas múltiplas no crânio e no pescoço, recebeu massagens cardíacas e morreu no Hospital Maggiore de Bolonha.

sennaimola

Domingo – 01 de maio de 1994

No dia da corrida, Ayrton Senna escapou com sua Williams na curva Tamburello, uma das mais rápidas da Fórmula 1.

Ele estava a quase 300 km/h  e bateu contra o muro, sendo atingido por um braço da suspensão que ficou preso ao pneu dianteiro direito na hora da colisão.

Senna também morreu no Hospital Maggiore.

publicidade