Ministro da Defesa diz que governo prendeu ‘supostos criminosos’ para coibir ‘verdadeiros criminosos’

peraiministro

Raul Jungmann, atual Ministro da Defesa, disse que as prisões de supostos terroristas feitas no Brasil foram para ‘assustar terroristas’ com ação duras e evitar atentados

“A lei antiterrorismo tipifica com penas muito duras os atos preparatórios. Até quatro anos. Pode chegar a 21 anos combinado com outras penas. O ato terrorista fere tão amplamente os direitos dos outros que o próprio ato preparatório deve ser punido assim. Foi para demonstrar que temos capacidade e que a punição será muito dura. É um efeito dissuasório‘, disse Jungmann.

publicidade

O juiz responsável pelo caso das prisões dos brasileiros disse que “há uma possibilidade de alguns dos acusados de atos preparatórios de terrorismo serem soltos” em matéria do jornal “O Globo”. Neste caso, eles teriam de ser monitorados por tornozeleira.

Raul Jungmann disse que não poderia falar pelo juiz, mas, caso alguém seja solto, terá de ser monitorado por tornozeleira.

O ministro da Segurança Institucional, Sergio Etchegoyen, não quis falar sobre outras ações porque entende que têm de ser mantidas em sigilo.

(a informação é de Rodrigo Mattos do UOL)

 

publicidade