Militares que se rebelaram contra Maduro foram executados: “Eles foram repelidos com balas”

No último domingo (6) o exército da Venezuela conseguiu conter uma rebelião contra o ditador Nicolás Maduro no Forte Paramacay

Um grupo liderado por Juan Caguaripano – capitão da Guarda Nacional Bolivariana – divulgou um vídeo (abaixo) nas redes sociais explicando o movimento:

“Nós nos declaramos em rebelião legítima, denunciamos a tirania assassina de Nicolás Maduro. Esclarecemos que isto não é um golpe, esta é uma ação cívica e militar para restaurar a ordem constitucional, afirmou Caguaripano.

O tirano Nicolás Maduro classificou a ação como um “ato terrorista”.

“Foi um ataque terrorista paramilitar executado por um grupo de delinquentes civis […] foi um show de propaganda, um passo desesperado.” disse o ministro da Defesa, Vladimir Padrino.

Maduro elogiou a ação do Exército.

“Quero felicitar nossas Forças Armadas […] derrotamos o terrorismo com balas. Os invasores foram repelidos”, disse o presidente na TV estatal.

Dois participantes do grupo que lutava contra a ditadura de Nicolás Maduro foram mortos pelas tropas leais ao presidente, segundo o jornal El Nacional.

Um terceiro foi ferido e está internado em estado grave […] os outros 13 participantes do grupo foram presos.

“Aqueles que sobraram terão pena máxima por se envolver neste ataque terrorista ao Forte Paramacay” disse o presidente Maduro.

 



 

publicidade