Maior exército do planeta poderá reforçar guerra contra o Estado Islâmico. Xi Jinping prometeu arrasar com terroristas.

exercitoChina

A agência internacional de notícias Xinhua divulgou hoje (25) um comunicado emitido pelo ministro da Defesa da China, Chang Wanquan, avisando que o país poderá ceder tropas e armamento para o auxílio na guerra contra o Estado Islâmico.

publicidade

A agência também destacou também que o governo chinês se manteve afastado do combate ao terrorismo internacional, porém após a morte de três chineses no ataque ao hotel no Mali e da execução de Fan Jinghui, um chinês de 50 anos raptado em setembro. O presidente Xi Jinping garantiu que o país vai reforçar os esforços de cooperação internacional e prometeu “arrasar de forma resoluta as operações terroristas que ameaçam vidas inocentes”.

A China declarou que irá apoiar as coligações que já estão agindo no combate ao Estado Islâmico. ” A resposta da China será firme e clara, dentro e fora de fronteiras. Não entraremos de forma direta, como a Rússia ou a França, mas teremos um papel fundamental para garantir a segurança em todo o mundo”, disse o ministro da defesa chinês.

O maior exército do mundo conta hoje com um efetivo de mais de 2,27 milhões de soldados e um orçamento anual estimado em 48 bilhões de dólares (37 dólares por habitante). O poderio chinês envolve mais de 9 mil tanques, 2.788 aeronaves e 520 equipamentos componentes da Força Naval Chinesa.

publicidade