Maior estudo científico de todos os tempos encontra evidências de vida pós-morte

A morte é uma conseqüência inevitável da vida, porém um grupo de cientistas acredita ter encontrado uma luz no fim do túnel

Trata-se do maior estudo médico em EQM (experiências de quase morte) feito até hoje.

Cientistas chegaram à conclusão de que pode haver um estado de consciência após o cérebro ter sido ‘desligado’ completamente.

Um dos testemunhos mais impressionantes veio de um senhor de 57 anos que relatou ter visto os médicos enquanto tentavam reanimá-lo […]  ele contou que estava acima da equipe médica e tinha uma visão ampla da sala.

Detalhes do depoimento (como as técnicas utilizadas e o som das máquinas) foram confirmados pelos profissionais que faziam parte da equipe.

“Sabemos que o cérebro não pode funcionar quando o coração para de bater”, disse o Dr. Sam Parnia, pesquisador da Universidade de Southampton, que liderou o estudo.

“Mas neste caso especificamente, a consciência continuou ininterrupta por mais de 3 minutos, mesmo com o coração parado” continuou.

Geralmente, o cérebro encerra suas funções de 20 a 30 segundos após o coração ter parado.

“O homem descreveu tudo o que aconteceu na U.T.I. […] o que mais me impressionou foi que ele ouviu dois beeps de uma máquina que faz um barulho em intervalos de três minutos. Ele parecia muito ciente de tudo o que aconteceu naquela sala” contou o Dr. Sam.

Dos 2.060 pacientes com parada cardíaca que foram analisados, 330 sobreviveram . Desse total, 132 pacientes disseram ter experimentado algum tipo de consciência ao serem ressuscitados.

Embora a maioria não conseguisse se lembrar de detalhes específicos, foi relatado que todos sentiram uma sensação de tranqüilidade incomum […] outros disseram que o tempo parecia desacelerado.

Também foram relatadas visões de luzes brilhantes, flashes dourados e até mesmo o sol brilhando.

Experiências ruins não ficaram de fora […] sentimentos de medo, quedas e afogamento foram compartilhadas entre os pacientes.

O Dr. Parnia acredita que muitas pessoas podem ter passado por experiências reais numa outra ‘dimensão’ e as drogas ou sedativos utilizados no processo de desaceleração impediram que eles se lembrassem com detalhes o que aconteceu:

“São experiências justificam uma investigação mais aprofundada”

David Wilde, Dr. psicólogo e pesquisador da Universidade de Nottingham Trent, é mais um especialista em EQM.

Ele declarou:

“Há uma evidência muito concreta de que essas experiências estão realmente acontecendo depois que as pessoas morreram clinicamente. Ainda estamos ‘engatinhando’ com relação ao que acontece quando você morre e espero que meus estudos ajudem a comunidade científica a evoluir sobre o tema”

O estudo do Dr. Wilde foi publicado na revista Resuscitation.

Jerry Nolan, médico e editor-chefe da revista Resuscitation comentou:

“O Dr. Parnia e seus colegas devem ser felicitados pela conclusão de um estudo fascinante que abrirá a porta para uma pesquisa mais aprofundada sobre o que acontece quando morremos”.


 5 casos de experiências de quase morte que vão abalar suas crenças


 

publicidade