LIVE SCIENCE: Cura do câncer já existe desde 2008. Indústria farmacêutica ignora porque não gera lucros

cancercure

Um pesquisador de câncer da Universidade de Alberta ( localizada em Edmonton, Canadá) descobriu uma substância química comum conhecida como DCA

O DCA é a abreviação de dicloroacetato, uma substância não tóxica que conseguiu inibir o crescimento de tumores cancerígenos em ratos.

publicidade

O site Live Science explica que a sistemática do tratamento é extremamente simples:

“O DCA mata a maioria dos tipos de células cancerosas alterando a forma como elas metabolizam o açúcar, causando-lhes uma autodestruição sem afetar tecidos normais.”

O pequisador Evangelos Michelakis chegou a realizar testes de DCA em células cancerosas humanas.

Ele conduziu testes clínicos em humanos e os resultados foram animadores:

O tratamento com o DCA ampliou a vida de quatro dos cinco participantes do estudo.

O cientista ainda não patenteou sua descoberta por um simples motivo:

Quando se trata de patentes, o DCA é um produto químico barato, comum e amplamente utilizado […] e que ninguém pode possuir.

ENTÃO VOCÊ SE PERGUNTA

Se há uma possibilidade de cura do câncer, porque ainda não ouvimos falar nela amplamente?

Porque a grande indústria farmacêutica não está ajudando?

Investir em medicamentos sem patente não é um bom negócio […] não gera lucros.

Farmacologistas dizem que as empresas farmacêuticas são como outras empresas qualquer que fabricam produtos e também devem ter lucro.

Para ser aprovado, um medicamentos deve ser submetido a testes que durem entre 7 a 10 anos.

O custo médio das pesquisas pode chegar a US$ 500 milhões de dólares.

Apenas 1 em 10 mil medicamentos estudados por pesquisadores chegam na fase final de aprovação.

Depois de aprovado, somente 3 em cada 20 geram lucros suficientes para cobrir os custos de desenvolvimento.

Especialistas apontam que a falta de patenteabilidade desempenha um papel fundamental na falta de investigação.

O Instituto Nacional do Câncer americano tem financiado testes clínicos com o DCA, porém não é o suficiente para fazer com que o medicamento seja aprovado como um tratamento contra a doença.

TESTES NO CANADÁ

O médico canadense Akbar Khan já está prescrevendo o DCA para seus pacientes com câncer.

No Canadá, o DCA já está aprovado para tratar de distúrbios de metabolismo.

De acordo com o Dr. Khan, cerca de 70% dos pacientes que falharam com tratamentos convencionais para o câncer, responderam positivamente ao DCA.

“Um dos pacientes tinha vários tumores, incluindo um particularmente preocupante na perna; o DCA estabilizou significativamente o tumor e reduziu a sua dor.”

Khan tem atualmente 3 pacientes com cânceres ‘ditos’ incuráveis e que já estão em recuperação completa, graças à combinação do DCA.

Sem a ajuda de grandes empresas do ramo, pequenos estudos como o do Dr. Khan ainda não são suficientes para provar que o DCA funciona.

(Live Science)

publicidade