Japão envia seu maior navio de guerra para escoltar frota liderada pelos EUA

O Japão enviou hoje (01) seu maior navio de guerra para se unir à frota americana liderada pelo USS Carl Vinson

A última vez que as marinhas japonesa e americana estiveram juntas no Pacífico, elas estavam em lados opostos, guerreando entre si.

O porta-helicópteros Izumo deixou o porto de Yokosuka, ao sul de Tóquio, na manhã de hoje, para escoltar o navio americano em direção ao largo de Shikoku.

A constituição do Japão, que foi adotada após sua rendição à América em 1945, proíbe seus militares de realizar qualquer ação que não seja em legítima defesa.

No entanto, o primeiro-ministro Shinzo Abe expandiu a definição de auto-defesa para incluir a proteção dos aliados japoneses e fornecer apoio logístico a países que são importantes para a defesa do país.

O Izumo foi autorizado a usar “poder de fogo mínimo”, a fim de proteger a armada norte-americana.

A Coréia do Norte anunciou hoje (01) que continuará testando mísseis nucleares de longo alcance, mesmo com a presença do USS Carl Vinson.

Mais cedo, o regime comunista advertiu que irá realizar mais um teste nuclear “a qualquer momento e em qualquer local” disse Kim Jon-un.

Um porta-voz do Ministério do Exterior da Coreia do Norte informou que Pyongyang está “totalmente pronta para responder a qualquer ação tomada pelos EUA”:“Continuaremos reforçando nossas capacidades de ataques nucleares preventivos, a menos que Washington abandone imediatamente suas políticas hostis” informou a KCNA.

Kim reafirmou que suas forças são capazes de afundar o submarino nuclear americano e o porta-avições Carl Vinson com “uma única rajada de fogo”.

O USS Ronald Reagan e seus grupos de ataque também estão sendo enviados para a região depois que Trump prometeu “resolver” a questão da Coréia do Norte.



publicidade


error: Conteúdo protegido !!