Impeachment no senado: Se a votação fosse hoje, Dilma retornaria ao Planalto

impesenado

Senadores aliados de Dilma calculam que Michel Temer teria hoje cerca de 50 votos para tirar Dilma definitivamente do cargo

Para que a petista seja afastada definitivamente, seriam necessários 54 votos.

publicidade

O PT está de olho nos senadores que votaram pela admissibilidade do impeachment, mas que sinalizaram que poderão virar a casaca em nova votação.

Treze senadores se encaixam nessa nessa situação:

13 senadores se enquadram nesse cenário:

Acir Gurgacz (PDT-RO)

Antonio Carlos Valadares (PSB-SE)

Cristovam Buarque (PPS-DF)

Marcelo Crivella (PRB-RJ)

Benedito de Lira (PP-AL)

Wellington Fagundes (PR-MT)

Ivo Cassol (PP-RO)

Edison Lobão (PMDB-MA)

Raimundo Lira (PMDB-PB)

Hélio José (PMDB-DF)

Romário (PSB-RJ)

Eduardo Braga (PMDB-AM)

Jader Barbalho (PMDB-PA)

Caso Renan Calheiros, presidente do senado, seja afastado do cargo, por decisão da PGR e do STF, a situação de Dilma poderá ser mais favorável.

O do PT senador Jorge Viana assumiria o comando do senado.

publicidade