Estudo mostra que crianças que não tomam vacinas são 5 vezes mais saudáveis

Os estudos mostraram, sem dúvida, que crianças não vacinadas são mais saudáveis do que as vacinadas e, por esta razão, os dados devem ser cuidadosamente ponderados pelos pais e profissionais da área da medicina. 


A intenção da pesquisa era tentar provar que crianças vacinadas eram mais propensas a sofrer de asma, eczema, infecções de ouvido, hiperatividade e outras condições crônicas.

Além disso, foi identificado que houve um aumento 1000% na incidência de amigdalite nas crianças que receberam vacinas.


O PRIMEIRO ESTUDO – 1992 – NOVA ZELÂNDIA

Em 1992, a IAS (Immunisation Awareness Society) realizou uma pesquisa paraverificar a saúde das crianças da Nova Zelândia.

Os resultados indicaram que as crianças não vacinadas eram cinco vezes mais saudáveis do que aquelas que receberam vacinas.

Questionários foram entregues para os membros do IAS (que é um grupo formado por centenas de pais) e também para vários amigos desses membros.

As famílias responderam as perguntas e os pesquisadores começaram a estudar cerca de 495 crianças, dentre as quais 226 foram vacinadas e 269 não receberam nenhum tipo de vacina desde o nascimento.

Os entrevistados forneceram dados como: ano de nascimento, sexo, vacinas recebidas, históricos de doenças crônicas (asma, eczema, otite, amigdalite , hiperatividade, diabetes e epilepsia), habilidades motoras, amamentação e alimentação.

Um fato curioso foi notado pelos pesquisadores: 92% das crianças  por cento das crianças que haviam recebido a vacina contra o sarampo necessitavam de uma operação de amigdalectomia (procedimento cirúrgico para a retirada das amígdalas inflamadas), o que indicava que a vacina contra o sarampo deixou as crianças mais suscetíveis a amigdalite.

A CONCLUSÃO DOS PESQUISADORES DA NOVA ZELÂNDIA

“Mesmo tendo algumas limitações, o estudo forneceu evidências científicas sólidas para afirmar que as crianças não vacinadas são mais saudáveis do que os seus pares vacinados. Embora os governos de todo o mundo têm continuamente declarado em seus estudos que não vacinar seria uma atitude antiética, chegamos a uma conclusão de que as crianças que receberam diversos tipos de vacinas são 5 vezes mais propensas a sofrer de uma série de doenças.


O SEGUNDO ESTUDO – 2011 – ALEMANHA

Baseado nas informações da pesquisa citada acima, pesquisadores alemães realizaram um estudo com cerca de 8.000 crianças não vacinadas com idade entre 8 –18 anos.

Tal como aconteceu na Nova Zelândia, os dados coletados vieram através da realização de questionários que foram distribuídos aos pais.

Os resultados também mostraram que crianças vacinadas foram até 500% mais propensas a adquirir uma gama de doenças e distúrbios do que aquelas que não tomaram nenhum tipo de vacina.

Os estudos foram comparados com uma outra pesquisa alemã (KiGGS), onde um grupo de 17.500 participantes com idades entre 0 -17 anos foram avaliadas.

Responsável pela recolha dos resultados da pesquisa, o Dr. Andreas Bachmair declarou:

“A asma, rinite alérgica e neurodermatitis (doença crônica da pele) são vistos com muita freqüência hoje. A prevalência de asma entre crianças não vacinadas é de cerca de 2,5%, rinite alérgica, 3%, e neurodermatitis, 7%.

Outras condições quase inexistentes em crianças não vacinadas:

O dr. Bachmair afirmou em seu relatório que o aparecimento de sinusite, verrugas, problemas de pele, infecções de ouvido, diabetes e epilepsia foram muito mais baixos nas crianças não vacinadas.

Crianças não vacinadas também mostraram prevalências muito baixas nos seguintes transtornos:

Dislexia: 0,21% / articulação: 0,38% / Transtorno de Processamento Sensorial: 0,28% / Ansiedade: 0,25% / Depressão: 0,12% / Incontinência urinária: 0,12% / Doença celíaca: 0,12% / Sensibilidade ao glúten: 0,41% / DRGE (doença do refluxo gastroesofágico): 0,06%.

CONCLUSÃO

Mesmo com as agências governamentais afirmando repetidamente que estudos entre crianças vacinadas e não vacinadas não podem ser levados em conta por razões éticas, grupos de cientistas ao redor do mundo estão assumindo a obrigação de realizar essas pesquisas para informar a população.

Os estudos mostraram, sem dúvida, que crianças não vacinadas são mais saudáveis do que as vacinadas e, por esta razão, os dados devem ser cuidadosamente ponderados pelos pais e profissionais da área da medicina.

O que foi relatado acima são apenas dados de estudos […] não aconselhamos ninguém a deixar de tomar vacinas por conta própria.

Consulte sempre um médico de sua confiança.


fonte: vaccineinjury.info 

 

publicidade