FGV aponta Forças Armadas como instituição mais confiável do país com 68% de aprovação

FA071115

As Forças Armadas consolidam-se como a instituição em que o brasileiro mais confia

Segundo dados da pesquisa, no primeiro trimestre de 2014, 64% da população afirmava confiar nas Forças Armadas.

publicidade

Essa taxa subiu para 68% no primeiro trimestre deste ano.

A boa imagem das Forças Armadas aparece no item “confiança nas instituições”. 

É o que aponta o Índice de Percepção do Cumprimento das Leis (IPCL Brasil), mensurado pela Escola de Direito de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV).

“A alta confiança nas Forças Armadas talvez seja resultado da sua participação em ações que envolvem a garantia de segurança em grandes eventos ou quando ocorrem casos de maior necessidade. Além disso, destaco também o papel das Forças Armadas no salvamento e a assistência às populações em momentos de grandes tragédias. Nesses momentos o papel das Forças Armadas na organização e no salvamento das pessoas, além da distribuições de roupa e alimentos, é reconhecido pela população que traduz esse conhecimento como confiança”, ressalta a professora Luciana Gross Cunha, coordenadora do IPCL (Índice de Percepção do Cumprimento da Lei), da FGV DIREITO, de São Paulo.

Com essa porcentagem, as Forças Armadas superam a Igreja Católica, que passou a ter 57% da confiança da população, contra 54% em 2014; as emissoras de TV que viram sua confiança subir de 31% para 34% em um ano e a polícia, com um aumento de 30% para 33%. O Ministério Público manteve o mesmo nível de confiança em um ano, com 45% dos respondentes.

“É difícil ver coisas erradas envolvendo as Forças Armadas, por isso acho que a instituição tem uma boa imagem perante a sociedade”, afirma o estudante de administração Brendon Marques, de 22 anos.

O Centro de Pesquisa Jurídica Aplicada da Escola de Direito de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (CPJA/DIREITO GV) ouviu 1.650 pessoas de oito Unidades da Federação: São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Bahia, Pernambuco, Amazonas e Distrito Federal.

(via Força Aérea Brasileira – FAB)

publicidade