Forças Armadas aparecem em pesquisa como instituição mais confiável do país: 68% de aprovação

As Forças Armadas consolidam-se como a instituição em que o brasileiro mais confia

Segundo dados da pesquisa, no primeiro trimestre de 2015, 64% da população afirmava confiar nas Forças Armadas.

Essa taxa subiu para 68% no primeiro trimestre de 2016.

A boa imagem das Forças Armadas aparece no item “confiança nas instituições”. 

É o que aponta o Índice de Percepção do Cumprimento das Leis (IPCL Brasil), mensurado pela Escola de Direito de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV).

A alta confiança nas Forças Armadas talvez seja resultado da sua participação em ações que envolvem a garantia de segurança em grandes eventos ou quando ocorrem casos de maior necessidade.

Além disso, destaco também o papel das Forças Armadas no salvamento e a assistência às populações em momentos de grandes tragédias.

Nesses momentos o papel das Forças Armadas na organização e no salvamento das pessoas, além da distribuições de roupa e alimentos, é reconhecido pela população que traduz esse conhecimento como confiança.

ressalta a professora Luciana Gross Cunha, coordenadora do IPCL (Índice de Percepção do Cumprimento da Lei), da FGV DIREITO, de São Paulo.

Com essa porcentagem, as Forças Armadas superam a Igreja Católica, que passou a ter 57% da confiança da população, contra 54% em 2015; as emissoras de TV que viram sua confiança subir de 31% para 34% em um ano e a polícia, com um aumento de 30% para 33%. O Ministério Público manteve o mesmo nível de confiança em um ano, com 45% dos respondentes.

“É difícil ver coisas erradas envolvendo as Forças Armadas, por isso acho que a instituição tem uma boa imagem perante a sociedade”, afirma o estudante de administração Brendon Marques, de 22 anos.

O Centro de Pesquisa Jurídica Aplicada da Escola de Direito de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas (CPJA/DIREITO GV) ouviu 1.650 pessoas de oito Unidades da Federação: São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Bahia, Pernambuco, Amazonas e Distrito Federal.


(via Força Aérea Brasileira – FAB)

publicidade