Diário do Brasil

Faturamento da JBS saltou de R$ 4 bi para R$ 170 bi durante governos Lula e Dilma

Que valores iremos passar para nossos filhos e netos? Que o crime compensa no Brasil?

Joesley Batista, presidente do grupo J&F (JBS-Friboi) está sendo investigado por (possivelmente) ter preparado sua fuga do país há meses.

O sr. Friboi está sob suspeita e continua articulando politicamente, mesmo morando nos EUA.

De acordo com informação do jornalista Cláudio Humberto, do Diário do Poder, Joesley tenta forçar a criação de uma CPI para investigar o esquema.

Obviamente a CPI arquivaria tudo ou simplesmente ‘inocentaria’ o empresário, já que grande parte dos parlamentares foram agraciados com pacotes de milhões e milhões de reais.

Quando a operação (acordo de delação) foi comunicada – na última semana – as operações do grupo no Brasil estavam reduzidas a apenas 20% do faturamento total do grupo.

Cerca de 70% da fortuna que circula nas empresas de Joesley estão concentradas nos EUA, outros 10% estão divididos em diversos países (Índia, China, México, Indonésia, África do Sul, Tailândia, Turquia, Alemanha, Holanda, Peru, Chile, Venezuela, Itália e Canadá).

O Brasil, que financiou o início do império do açougueiro, virou “passado”.

Segundo Cláudio Humberto, durante os governos Lula e Dilma, o grupo J&F foi fortemente financiado pelo BNDES e saltou seu faturamento de R$4 bilhões em 2007 para R$170 bilhões nos tempos atuais.

Com o acordo de delação dos sonhos, os magnatas da carne conseguiram escapar de (ao menos) cinco operações da PF/MPF.

Consta também uma dívida superior a R$1,8 bilhão deixada junto ao INSS […] o débito atualizado junto ao BNDES estaria na casa dos R$13 bilhões.


 

publicidade


error: Conteúdo protegido !!