Ex-Procurador da Fazenda estaria movendo ação contra Ministro Toffoli por fraude nas urnas eletrônicas

fcstofoli

Matheus Carneiro foi Procurador da Fazenda e é um dos autores da ação que coloca Dias Toffoli, do TSE, também responsável pelo julgamento da Lava Jato no STF, como réu, em face das votações com as urnas eletrônicas nas últimas eleições.

publicidade

Matheus também foi o autor do pedido de Impeachment de Dias Toffoli, engavetado por Renan Calheiros (PMDB) no Senado, e que ainda circula pelo STF.

(reprodução via Folha Centro Sul / Mídia Livre)

Trata-se da Ação Popular  Nº 5004277-19.2015.4.04.7204/SC, constante na Justiça Federal de Santa Catarina.

A AÇÃO

Na ação, Toffoli, a União e a Smartmatic se tornaram réus em face de investigações sobre a contratação de 91.515 urnas eletrônicas ao custo de R$ 204.236.454,69 milhões de Reais.

Tais urnas poderiam estar fraudadas, no entender dos autores da ação, já que sua contratação, bem como os aditivos são ilegais.

Outra coisa que chama a atenção, na Ação, é que o contrato  vigente de 27/12/2015 a até 27/12/2016, recebeu 4 aditivos, sendo um deles, um gordo aditivo de R$ 435 mil reais.

Ou seja, nem bem havia começada a execução do contrato e o mesmo recebeu 4 aditivos, tendo um deles essa dinheirama toda envolvida. E outra coisa mais séria: quem são os donos da Smartmartic? E da Diebold? Qual a relação dos sujeitos com Toffoli, o Foro de São Paulo e o desgoverno do PT?

Segundo Matheus Faria, consta que em face do processo, além de Toffoli virar réu, a Smartmatic está fora das eleições por 36 meses.

CAIU A CASA

É o começo das tribulações institucionais mais pesadas, já que com isso, DIANTE DESSA ILEGALIDADE NA CONTRATAÇÃO DAS URNAS, DESSA FRAUDE DE FATO, fica claro, público e notório que o ex-advogado do PT, Dias Toffoli, como Ministro do TSE e do STF deveria renunciar imediatamente e as eleições de 2014 deveriam ser anuladas, sendo convocadas novas eleições, em breve.

Isso, sem falar das investigações da Lava Jato e das provas que estão no TSE, sendo rejeitadas e renegadas pelo bolivariano, PGR Rodrigo Janot, e demais lulo-petistas do judiciário brasileiro, 90% falido moralmente.

Diga-se de passagem, no atual momento da vida pública brasileira, falando-se de judiciário brasileiro, só se salva alguns poucos juízes, promotores, procuradores e ministros sérios, Moro, Força Tarefa, PF, Lava Jato, Zelotes e o TRF da 4ª Região, que compreende os Estados do Sul do Brasil.

Contudo, ainda resta a tal da Procomp Indústria Eletrônica Ltda, que seria a mesma Diebold, já denunciada em outros tempos, como uma das empresas que serve ao Foro de São Paulo nas eleições pela América Latina.

 (Com informações da Folha Centro Sul / Mídia Livre)
publicidade