Ex-presidente dos Correios confirma que empresa está na UTI e governo sinaliza 8,9% de aumento de nas tarifas

DilmaFace1

Ex-presidente dos Correios reconheceu que a empresa está na UTI

Na posse do novo presidente dos Correios, Giovanni Queiroz, o ministro das Comunicações disse que há uma defasagem no valor das tarifas cobradas pela estatal na entrega de cartas e boletos.

publicidade

De acordo com o ministro, um provável aumento de 8,9% nas tarifas já é dado como certo.

Ainda nas palavras do ministro, o aumento ajudaria a empresa a reverter o prejuízo, que poderá atingir um rombo de até R$ 1 bilhão, o primeiro resultado negativo em 20 anos.

Traduzindo as palavras do ministro: O governo administra mal, desvia recursos, não investe e o povo deverá arcar com a irresponsabilidade do governo federal.

O ministro André Figueiredo ressaltou que os Correios precisam ter resultados operacionais que não comprometam sua solvência. A empresa conta atualmente com 120 mil empregados.

— Como toda empresa, os Correios também estão sofrendo os efeitos de uma crise econômica (criada pelo próprio governo Dilma), o que acabou acarretando na diminuição da produção industrial. Consequentemente, o setor de logística também sofre com essa crise (voltamos a repetir:criada pelo próprio governo Dilma ).

Em seu discurso de posse, o ex-presidente dos Correios Wagner Pinheiro reconheceu que a empresa está na UTI. Já Queiroz (o novo presidente escolhido por indicação política) disse que os caminhos para isso já estão traçados e que não fugirá do desafio de trazer a empresa de volta ao lucro.

publicidade