Empresária que pagou R$ 2,5 milhões para filho de Lula pode ser a peça que faltava para o quebra-cabeça

pimentapetista

O deputado petista Paulo Pimenta (PT-RS), que preside a Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados, formalizou ontem (25) um pedido à Justiça Federal para ter acesso ao local onde está detida Cristina Mautoni, de 53 anos, presa pela Operação Zelotes.

publicidade

Cristina foi presa por ordem do juiz Vallisney Souza de Olveira depois que seu marido, Mauro Marcondes, se recusou a fechar acordo de delação premiada.

O deputado conta que recebeu uma denúncia de que Cristina Mautoni estaria sendo submetida a pressões psicológicas e maus-tratos.

O advogado de Marcondes, Roberto Podval, afirmou que a delação, para ser aceita, deveria incriminar Luis Claudio Lula da Silva, filho do ex-presidente Lula – o que Marcondes, até agora, se recusa a fazer.

A Marcondes e Mautoni Empreendimentos, empresa do casal, fez pagamentos de R$ 2,5 milhões à LFT Marketing Esportivo, do empresário Luís Cláudio Lula da Silva, filho do ex-presidente Lula.

Cristina está sendo acusada de integrar um esquema de compra de medidas provisórias no governo federal durante o governo Lula, investigado na Operação Zelotes. Ela foi detida em sua residência, no bairro do Morumbi, em São Paulo.

publicidade