Em delação, Marcelo Odebrecht confessa: “Dilma exigiu R$ 12 milhões. Ela atuou criminosamente”

marcelodilma12

A revista IstoÉ antecipou ontem (3) trechos da delação premiada acordada entre o empreiteiro Marcelo Odebrecht e a Polícia Federal

Esquema de corrupção na Petrobras

publicidade

Marcelo afirmou em delação que entre o primeiro e o segundo turnos da eleição presidencial de 2014, o tesoureiro da campanha, Edinho Silva, cobrou uma doação “por fora” no valor de R$ 12 milhões.

O montante foi repassado ao marqueteiro João Santana, preso pela Operação Lava Jato.

Marcelo disse que, em um primeiro momento, se recusou a fazer o repasse.

Edinho Silva [tesoureiro de Dilma] ficou insistindo em ter o dinheiro e o empreiteiro procurou diretamente a presidente da República:

“Presidente, resolvi procurar a senhora para saber o seguinte: é mesmo para efetuar o pagamento exigido pelo Edinho?”, perguntou Odebrecht.

Dilma respondeu: “É para pagar”.

O empresário afirmou para a PF que Dilma exigiu R$ 12 milhões para a campanha eleitoral durante encontro “particular” entre os dois.

A conversa aconteceu pouco depois do primeiro turno da disputa presidencial, informou a IstoÉ.

Marcelo Odebrecht atestou que a presidente afastada “não apenas sabia como atuou pessoalmente numa operação criminosa”.

Impeachment é muito pouco para os crimes que Dilma cometeu e continua cometendo.

publicidade