Doleiros revelam onde Cabral escondia os milhões que recebia de propina

Em depoimento ao juiz federal Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio, os doleiros Marcelo Chebar e Renato Chebar (que são irmãos), disseram que ajudaram o ex-governador a lavar parte de uma pequena fortuna.

Segundo o depoimento dos delatores, Cabral mantinha uma sala exclusiva para guardar dinheiro vivo oriundo de propina […] o imóvel era localizado no luxuoso bairro de Ipanema, zona sul do Rio de Janeiro.

A sala foi alugada com um único propósito: servir de cofre para o ex-governador.

“O prédio era extremamente seguro” disseram os doleiros.

Todo o dinheiro que ficava guardado na ‘sala-cofre’ servia para ostentar as necessidades diárias da família Cabral.

Uma outra parte das propinas (valores mais substanciais) era enviada para o exterior.

Ainda de acordo com a delação dos irmãos Chebar, Cabral ainda tem uma verdadeira fortuna guardada fora do país.

Somente por intermédio deles foram ‘exportados’ mais de 100 milhões de dólares.

O juiz Marcelo Bretas perguntou aos delatores se Sérgio Cabral aparentava algum remorso ou constrangimento quando movimentava o dinheiro ilícito. Eles responderam:

“Tudo era tratado como um negócio. Não havia vergonha, receio ou qualquer constrangimento”


 

publicidade