Dinheiro para pagar reformas do sítio ficava escondido em um móvel, disse ex-assessor do Planalto

lulasitio0503

Por Bela Megale e Flávio Ferreira, na Folha:

publicidade

Em 2010, quando Lula ainda era presidente, o pessoal Rogério A.Pimentel realizou pagamentos em dinheiro vivo para pagar despesas de obras realizadas no sítio de Atibaia (SP) , de acordo com um prestador de serviços ouvido pela Folha/SP

A informação foi confirmada no depoimento de um engenheiro da Odebrecht à força-tarefa da Lava Jato. Barbosa também trabalhou na obra. A oitiva dele foi usada pelo Ministério Público para embasar a 24ª fase da operação.

O engenheiro confirmou que a Odebrecht forneceu e pagou 15 funcionários para reforçar a equipe nos serviços no imóvel.

“Um prestador de serviços relatou que ele e sua equipe foram remunerados, durante o período em que trabalharam no sítio, pela Odebrecht”, segundo a representação da Procuradoria. Segundo ele, o dinheiro para pagar as reformas era disponibilizado imediatamente. Ele deixava dinheiro em espécie dentro de um móvel do sítio […] ”.

Também foi relatado que o ex-assessor de Lula fez pagamentos de produtos na loja de materiais de construção fornecedora para as obras no sítio e quitou despesas de aluguel de equipamentos.

publicidade