Diário do ex-presidente John Kennedy confirma que morte de HITLER foi uma ‘farsa armada’

A informação de que Hitler pode ter fugido para a América do Sul consta em um diário pessoal escrito pelo ex-presidente dos EUA, John Fitzgerald Kennedy.

O jovem Kennedy era jornalista e tinha 28 anos quando viajou profissionalmente para visitar a Alemanha pós guerra […] época em que o exército soviético tinha acabado de destruir Terceiro Reich (nome dado para a Alemanha durante o período da 2ª guerra), em 1945.

Composto por 61 páginas, o diário continha anotações sobre o líder nazista e políticos da época.

Já nas primeiras páginas, Kennedy teria escrito:

“O mito Hitler foi construído com a mesma massa que foram feitas as lendas”.

Uma assistente de Kennedy chegou a destacar que JFK chamou o nazista de “lenda” se referindo ao mistério que o envolvia e não às barbaridades que ele cometeu contra a humanidade.

Entre as várias anotações sobre o líder nazista, JFK expressa sua dúvida sobre os restos carbonizados que foram encontrados no esconderijo de Hitler:

“O quarto onde o líder nazista supostamente teria se encontrado com a morte tinha paredes carbonizadas e rastros de fogo […] porém não havia provas concretas de que o corpo encontrado fosse mesmo de Hitler”.

No mesmo diário, Kennedy elogia Winston Churchill (primeiro-ministro do Reino Unido) e se refere a ele como “ídolo.”



(fonte:Independent)

publicidade