Delcídio revela que ex-ministra de Dilma comandou esquema de corrupção e desviou R$ 45 milhões

siteusina

A denúncia faz parte do trecho de delação premiada do senador Delcídio do Amaral (PT-MS) veiculado pela revista IstoÉ ontem (11)

Erenice Guerra, ex-ministra “petralha” da Casa Civil  é acusada de comandar“ um sofisticado esquema de corrupção nas obras da usina de Belo Monte”, com o objetivo de desviar dinheiro para financiar campanhas eleitorais do PT e do PMDB em 2010 e 2014 – ao menos R$ 45 milhões foram desviados, segundo a acusação.

publicidade

A revista conta que as denúncias fazem parte do “anexo 7” da delação do senador Delcídio

“O ex-líder do governo no Senado envolveu o ex-presidente Lula e sua sucessora, Dilma Rousseff, na mesma colaboração judicial. Delcídio disse a procuradores envolvidos na investigação que um “triunvirato” composto por Erenice Guerra, seu antecessor na Casa Civil, Antonio Palocci, e o ex-ministro de Minas e Energia Silas Rondeau conseguiu movimentar R$ 25 bilhões por meio de contratos fraudulentos – dos quais cerca de R$ 45 milhões destinados às campanhas.”

A matéria diz que relatos sobre esquema de corrupção em Belo Monte já foram feitos por outros delatores da Lava Jato, mas que a delação de Delcídio é a primeira como detalhes

“A propina de Belo Monte serviu como contribuição decisiva para as campanhas eleitorais de 2010 e 2014”, delatou Delcídio, referindo-se à coligação liderada por Dilma nas duas eleições. O documento com a colaboração premiada está em vias de ser homologado pelo ministro Teori Zavascki, responsável pela Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF).”

publicidade