Diário do Brasil

Delação de Cunha promete afundar o PMDB e parte do Judiciário

Após a prisão do ex-ministro Geddel Vieira Lima, que (de acordo com a PGR) estaria tentando impedir as delações do doleiro Lúcio Funaro e do ex-deputado Eduardo Cunha, o tempo fechou para o lado de Michel Temer e da alta cúpula do PMDB.

Funaro já começou a falar […] inclusive a prisão de Geddel ocorreu em função de sua delação.

Os advogados de Cunha já procuraram a PGR e avisaram que, enfim, ele vai delatar […] a partir de agora a procuradoria começará a colher as informações e provas que o ex-deputado tem para entregar.

Antes mesmo de ser preso, o ex-presidente da Câmara havia ameaçado que não seria ‘bode expiatório’ da corrupção generalizada.

O colunista do Globo, Ricardo Noblat, publicou no início do ano:

“Se ele cair, será atirando para todo lado e poderá levar com ele cerca de 150 deputados, além de um ministro e um senador.”

O site Antagonista também informou (em janeiro) que 14 ministros do STJ, 2 ministros do STF, um grupo de frigoríficos (obviamente a JBS), quatro grandes bancos, dois advogados e vários caciques do PMDB e do PT serão denunciados.

Cunha e Funaro prometem indicar contas bancárias em cinco paraísos fiscais, incluindo Bélgica e Emirados Árabes.

E o presidente Michel Temer? Aguardem …

Cunha avisou que tem uma surpresa especial para o “Michel”.


 

publicidade


error: Conteúdo protegido !!