Começou a guerra! Sem terra invadem propriedade, ateiam fogo e entram em confronto com a PM

conflitomst

A polícia disse que o conflito começou quando integrantes do MST atearam fogo em área de reserva ambiental e bloquearam o acesso a uma estrada rural; o movimento tem outra versão

Há semanas, o movimento já vem ameaçando invadir propriedades particulares. Durante pronunciamento da presidente Dilma, no último dia 01, líderes do grupo, que estavam no Palácio do Planalto, disseram as seguintes palavras:

publicidade

“Vamos ocupar as propriedades deles, as casas deles no campo. Vamos ocupar os gabinetes, mas também as fazendas deles. Se eles são capazes de incomodar um ministro do Supremo Tribunal Federal, vamos incomodar as casas deles, as fazendas e as propriedades deles. Vai ter reforma agrária, vai ter luta”

Pois é, a guerra já começou e o governo tem uma parcela de culpa nessas mortes. A petralhada sempre financiou, armou e deu aval para esse tipo de invasão.

Até o fechamento dessa matéria, dois sem-terra morreram e nove pessoas ficaram feridas durante o confronto.

Policiais militares e integrantes do MST se enfrentaram em uma área chamada Fazendinha, em Quedas do Iguaçu, região Centro-Oese do Paraná.

A VERSÃO DO MST

O MST informou que duas equipes da PM do Paraná,acompanhadas de seguranças da empresa Araupel atacaram o acampamento Dom Tomás Balduíno, na região de Quedas do Iguaçu, Centro do estado.

A VERSÃO DA PM

De acordo com os policiais, duas equipes da corporação acompanhavam um grupo de funcionários da empresa Araupel no combate a um incêndio [provocado pelos sem terra] dentro de uma fazenda de celulose da companhia invadida pelos Sem Terra.

O grupo teria sido vítima de uma emboscada organizada por mais de vinte integrantes do MST e reagiram ao ataque, deixando dois mortos e seis feridos entre os camponeses. A PM disse ainda que enviou equipes para resgatar os feridos e remover os corpos das vítimas.

publicidade