CNI se reúne com Temer e sugere jornada de trabalho de 80 horas semanais (corrigido)

temererobson

Após uma reunião com o presidente interino Michel Temer, Robson Braga [presidente da Confederação Nacional da Indústria] disse que serão necessárias “mudanças bruscas” tanto na Previdência Social quanto nas leis trabalhistas.

Michel Temer não se pronunciou após o encontro.

publicidade

O presidente da CNI sugeriu que o país adote iniciativas iguais às do governo francês, que, de forma independente do Parlamento, conseguiu autorizar uma carga horária de até 80 horas semanais e de 12 horas diárias para os trabalhadores.

“Um déficit de R$ 139 bilhões [para 2017]. Acho que foi uma demonstração de responsabilidade do governo apresentar as dificuldades que têm e o esforço que será feito para contornar essas dificuldades”, afirmou o presidente da CNI.


CORREÇÃO DA CNI

A citação do presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, sobre a ampliação da carga horária na França para 80 horas semanais foi corrigida.

O presidente da CNI citou, ao invés 60 horas semanais de trabalho, uma carga horária de 80 horas por semana para o trabalhador como uma possibilidade de revisão para “criar competitividade” e enfrentar a crise econômica no Brasil.

A comunicação da CNI disse que seu presidente “JAMAIS defendeu o aumento da jornada de trabalho brasileira, limitada pela Constituição Federal em 44 horas semanais”. Na nota, a entidade afirmou que tem “profundo respeito pelos trabalhadores brasileiros e pelos direitos constitucionais”, descritos no texto como “símbolo máximo das conquistas sociais da nossa sociedade.”


publicidade