Caminhoneiros dão ultimato a Dilma: ” Não queremos acordo. Saia do governo ou iremos parar o país”

db0001

Os mesmos caminhoneiros que organizaram uma mega paralisação da categoria em fevereiro de 2015 tentam articular uma nova mobilização para a próxima segunda-feira (09)

O grupo pede a saída da presidente Dilma e alega que o governo não cumpriu os acordos feitos com a categoria na época:

publicidade
  • Redução do preço do óleo diesel
  • Cancelamento das multas aplicadas a quem aderiu à greve
  • Lei que regulamente a aposentadoria com 25 anos de trabalho

“As reivindicações não foram atendidas. Agora não queremos negociar, não aceitaremos acordo. Queremos a renúncia da presidente”, afirmou o organizador da manifestação, Ivar Luiz Schmidt.

Ivar foi um dos responsáveis responsável por liderar a paralisação de fevereiro, que afetou a distribuição de combustível pelo país e fez com que o preço da gasolina chegasse a cinco reais o litro em algumas cidades.


▼ notícia de última hora (8/11 – 19:45): ▼

A ditadura do governo petista. Dilma diz que não permitirá greve dos caminhoneiros

 


▼ notícia de última hora (7/11 – 22:08): ▼

Greve dos caminhoneiros vira destaque mundial. Cidades do sul já tem pontos de desabastecimento


▼ leia também: ▼

Entrevista com o presidente do Comando Nacional dos Transportes: “Fora Dilma. Não tem acordo!”


▼ leia também: ▼

Psiquiatra analisa Lula e apresenta diagnóstico: “Personalidade psicopática e transtorno incurável”


 

publicidade