Baiano entrega documentos à PF que comprovam entrega de propina para campanha de Dilma em 2010

DELATORBAIANO

Fernando Baiano, pagador de propinas, entregou à Polícia Federal cópia dos registros de hospedagem em um hotel em Brasília, em junho de 2010, ocasião que teria participado de reunião entre o ex-ministro Antonio Palocci e o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa.

publicidade

As informações oficiais são do jornal Estadão.

No encontro, ele afirma que foi acertado o pagamento de R$ 2 milhões para a campanha da presidente Dilma Rousseff.

O documento foi entregue pelo advogado de Fernando Baiano juntamente com o comprovante das passagens de ida e volta para Brasília, em novembro de 2010. Baiano sustenta que do Hotel Meliá, foi de carona em uma carro da Petrobras com Paulo Roberto Costa até uma casa usada pelo comitê da campanha, onde Palocci – que era coordenador da campanha presidencial do PT – e um ex-assessor, Charles Capella de Abreu, teriam pedido apoio financeiro.

O pagamento de R$ 2 milhões à campanha presidencial do PT em 2010 já havia sido mencionado pelos investigadores da PF em agosto de 2014, quando Paulo Roberto Costa, o primeiro delator da Lava Jato, citou o mesmo episódio.

Costa disse que recebeu um pedido de Alberto Youssef, que teria falado em nome de Palocci. Youssef confirmou que entregou naquele ano R$ 2 milhões, em São Paulo, a pedido de Costa, sem saber quem era o beneficiário.

Fernando Baiano conta que acompanhou Costa no encontro com Palocci, em Brasília. O ex-ministro teria falado que “haveria interesse por parte do PT” na continuidade dele na Diretoria de Abastecimento. Ou seja, Palocci estava negociando um cargo na Petrobras para receber (em troca) dinheiro de propina para apoiar a campanha de Dilma.

publicidade