Após dizer que os homens trabalham mais que as mulheres, ministro leva ‘puxão de orelhas’ da filha

barrosfilha

Na semana que passou, o ministro da Saúde, Ricardo Barros, deu uma declaração um pouco infeliz. O fato causou furor nas redes sociais

Durante o anúncio de um plano para aumentar as estatísticas de atendimento a homens na rede pública de saúde, Barros disse que os homens vão menos aos serviços de saúde porque trabalham mais.

publicidade

“Os homens trabalham mais que as mulheres, são os provedores da maioria das famílias e não acham tempo para a saúde preventiva. Isso precisa ser modificado”, declarou.

No dia seguinte da declaração, Barros emitiu uma nota de desculpas e argumentando que foi mal interpretado:

“Conhecendo o quanto as mulheres trabalham, eu jamais diria que os homens trabalham mais que as mulheres” disse.


“Hoje eu tive que dar um ‘puxão de orelhas’ no meu pai, que deu a entender que os homens trabalham mais que as mulheres…”, postou a deputada Maria Victoria

A filha do ministro, a deputada estadual Maria Victoria Borghetti Barros (PP-PR), também criticou a afirmação do pai:

“Trabalhamos 5 horas a mais na semana que os homens”, reagiu a filha, acrescentando ainda que as mulheres fazem “jornada dupla de trabalho, quando voltam para casa”.

A bronca foi parar no Facebook através de um vídeo postado por Maria Victoria:

“Não é preciso dados para provar que as mulheres trabalham muito” disse a deputada

Abaixo a íntegra do vídeo:

“Pai, logo o senhor, com duas mulheres como nós em casa, a vice-governadora do estado do Paraná, a Cida Borghetti, eu, deputada estadual, e trabalhamos tanto quanto o senhor. Por mais que haja dados absolutos de que há um maior número de homens no mercado formal de trabalho, o IBGE afirma que as mulheres trabalham em média 5 horas a mais na semana do que os homens, portanto uma jornada de trabalho mais longa. E não precisa de dados para mostrar o quanto as mulheres trabalham nesse Brasil inteiro. Depois de trabalhar fora de casa, ainda tem de trabalhar em casa, a famosa jornada dupla de trabalho. Não é isso mulherada?”

publicidade