A mando de Dilma, Agência Brasileira de Inteligência (ABIN) estaria monitorando Sérgio Moro

moroabin

A decisão do magistrado estava tomada. Lula seria preso antes de ser nomeado ministro e obter a prerrogativa de foro privilegiado

(reprodução do Jornal da Cidade)

publicidade

Sérgio Moro estava sendo monitorado pela ABIN (Agência Brasileira de Inteligência) a mando da presidente Dilma Rousseff.

Foi quando chegou ao conhecimento de Moro a informação de que a prisão de Lula já havia sido comunicada ao Palácio do Planalto.

Dilma então tomou providências urgentes para frustrar o cárcere do ex-presidente, publicando um decreto extraordinário no diário oficial efetivando a nomeação do Lula para o cargo de Ministro-Chefe da Casa Civil.

A partir daí, o petista já estaria gozando das prerrogativas inerentes ao cargo, mais precisamente o foro privilegiado.

Diante da situação e indignado com a atuação criminosa da presidente da República, o juiz resolveu quebrar o sigilo do processo e dar publicidade, como de fato foi feito.

publicidade