A astúcia de Moro: “Se não havia nada de ilícito no grampo telefônico, então por que tanto alvoroço?”

termodeposse

Em mais uma jogada de mestre, Sérgio Moro surpreendeu a presidente afastada Dilma Rousseff

A petista estava descontrolada após a divulgação de sua conversa com Lula. Aquela do ‘termo de posse’, lembram?

publicidade

Pois bem, em um despacho divulgado no início do mês, o magistrado surpreendeu Dilma.

O ofício foi uma resposta ao ministro Teori, que havia solicitado explicações sobre a divulgação dos grampos.

Moro lamentou as controvérsias desencadeadas por sua decisão de levantar os sigilos das gravações legais e também questionou o motivo de tanto alvoroço (no meio petista) após a divulgação das conversas entre Lula e Dilma.

O recado foi bastante claro:

Se não havia nada de errado, qual o motivo de tantas explicações, de tantos berros e de tanto descontrole?

Se Dilma agiu legalmente, por que o STF não ‘aprovou’ Lula como ministro?

Se tudo foi feito dentro dos conformes, por que Lula queria ser julgado pelo STF?

Por qual motivo o ex-presidente estaria fugindo da primeira instância?

abaixo um trecho do ofício:

“Rigorosamente, a Exma. Sra. Presidenta da República negou, publicamente, o caráter ilícito do diálogo. Se é assim, se o referido diálogo não tinha conteúdo jurídico-criminal relevante para a Exma. Sra. Presidenta da República, então não havia causa para, em 16/03, determinar a competência do Supremo Tribunal Federal, o que só ocorreria com a posse do ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva no cargo de Ministro Chefe da Casa Civil, então marcada para 22/03/2016, depois antecipada para 17/03/2016”, escreveu o juiz.


URGENTE – 28 DE JULHO DE 2016

lulaexclusivo

Lula contrata advogado de Mike Tyson, especialista em direitos humanos, e pede socorro à ONU


publicidade